You are currently viewing Carros elétricos: Qual é o desgaste ‘real’ da bateria? – Lea ...

Carros elétricos: Qual é o desgaste ‘real’ da bateria? – Lea ...

Carros elétricos: Qual é o desgaste ‘real’ da bateria?

 

18 Outubro, 2021

Ler

Com o aumento da popularidade dos carros elétricos nos últimos anos, especialmente agora, que os preços dos combustíveis fósseis estão a chegar a níveis proibitivos, temos de analisar alguns dos potenciais problemas de um EV… Nomeadamente no campo da bateria!

Afinal, enquanto é agora um dado adquirido que o custo de manutenção de um carro elétrico é significativamente mais baixo comparativamente a um carro munido de um ICE (Motor a Combustão), a verdade é que a longevidade das baterias continua a ser tema a ser discutido.

Ao fim ao cabo, todas as baterias vão ter uma pequena degradação, sempre que a carregar e a descarregar. Mas será isto um problema assim tão grave? No passado sim! Mas agora? Nem por isso.

Vamos por partes.

Carros elétricos: Qual é o desgaste ‘real’ da bateria?

Portanto, todas as baterias perdem capacidade com o uso, sejam estas baterias de smartphone, ou baterias de carros elétricos. Agora… Quanto tempo demoram até chegar a um certo nível de degradação? Isso já depende de vários fatores, desde os constituintes básicos da célula, até ao uso que lhe dá no seu dia-a-dia.

De forma a resumir a coisa, temos 4 grandes fatores:

  • Carregamento Rápido
  • Ambiente
  • Uso (KMs)
  • Tempo (idade)

Carregamento Rápido

  • O carregamento rápido pode degradar a bateria de forma mais rápida. No entanto, o nível de degradação não é assim tão alto como alguns especialistas podem levar a crer. Segundo um estudo muito interessante, temos o exemplo de 4 Nissans Leaf, 2 carregados a apenas 3.3 kWh, enquanto os outros 2 foram carregados através de estações de 50 kWh. Pois bem, em 65 mil KMs, os Leaf carregados de forma rápida, apenas demonstraram uma degradação 3% superior.

Ambiente

  • As baterias sofrem muito com a temperatura ambiente, especialmente se esta for muito baixa, (o mesmo acontece se esta for muito alta, mas os carros modernos já têm sistemas de refrigeração complexos e eficientes neste caso). Aliás, caso não saiba, a sua autonomia elétrica vai ser maior em dias quentes, do que em dias frios.

Uso

  • Esta é óbvia, mas quanto mais usar a bateria, mais degradação irá acabar por ter. Nos cálculos da Tesla, o Model 3 vai perder 5% do seu ‘sumo’ nos primeiros 40 mil KMs.

Tempo / Idade

  • Esta também é óbvia, especialmente quando temos em conta o modelo em questão. Por exemplo, um Nissan Leaf de primeira geração, vai perder 35% da sua capacidade de bateria ao fim de 8 ano. Mas este é um dos primeiros modelos, conhecidos por este mesmo defeito. Os modelos mais recentes, com novos sistemas de refrigeração, já não apresentam estes valores.

Por fim, temos o uso no dia-a-dia! É necessário ter alguns cuidados com a bateria de um carro elétrico, tal e qual como também tem de ter alguns cuidados num carro a gasóleo ou a gasolina.

Assim, é sempre boa ideia deixar a bateria entre os 40% e os 80% de carga. É boa ideia deixar o carro numa garagem, em vez de abandonado na rua em tempos de calor extremo ou frio extremo.

Sendo também boa ideia utilizar os controlos de carregamento do carro, de forma a ligar logo o AC enquanto este está ligado ao carregador, de forma a não puxar demasiado pela bateria fria.

Conclusão

Hoje em dia, qualquer carro elétrico tem uma garantia de 8 anos, ou uma quantidade fixa de KMs (100 mil ~ 200 mil), caso a bateria baixe para baixo de 70%. Uma grande segurança para quem vai comprar um carro elétrico agora, seja ele novo ou usado.

Mas é preciso ter algo em consideração. As baterias estão agora muito mais avançadas, especialmente se as compararmos com os carros elétricos ou híbridos de há 10 anos atrás.