You are currently viewing O que vale o CUPRA Formentor eletrificado mais potente? ...

O que vale o CUPRA Formentor eletrificado mais potente? ...

O CUPRA Formentor VZ e-HYBRID é a versão eletrificada mais potente do primeiro modelo exclusivo da ainda muito jovem marca espanhola. Aprovado?

As responsabilidades que recaem sobre o CUPRA Formentor são consideráveis. Ao ser o primeiro modelo exclusivo da jovem marca espanhola acaba por servir como montra do que esta é capaz de fazer quando lhe dão uma “folha em branco” (ou o mais perto disso).

O resultado, à primeira vista, parece ser positivo. À sua passagem são várias os olhares que se fixam na vincada carroçaria e os seus atributos mecânicos e dinâmicos valeram-lhe até o galardão de “Desportivo do Ano” em Portugal.

Mas será que a convivência diária com a proposta da CUPRA confirma as expectativas criadas à sua volta? Para descobrir colocámos à prova o CUPRA Formentor VZ e-HYBRID, a versão híbrida plug-in mais potente da gama.

CUPRA Formentor, o sedutor

Como mencionei à pouco, ao longo dos dias que passei na companhia do CUPRA Formentor, se houve algo que se tornou numa constante foram as cabeças a “girar” à sua passagem — e por bons motivos.

Para tal muito contribui uma estética agressiva que, a meu ver, está bastante bem conseguida e uma pintura mate que lhe assenta “como uma luva” e até me trouxe à memória a pintura de aviões furtivos como o F-117 Nighthawk.

Já no interior, “respira-se” qualidade, principalmente no que aos materiais diz respeito que, se não igualam os usados pelas propostas premium alemãs, não devem andar longe de o fazer. Quanto à montagem, por outro lado, o crossover espanhol revela alguma margem de progressão.

Não há ruídos parasita incomodativos nem nada do género. Contudo, a robustez que todo o habitáculo transmite quando circulamos em pisos mais degradados ainda não está ao nível de modelos como, por exemplo, o BMW X2 (mas também não anda longe).

Depois, há um campo onde o CUPRA Formentor ganha “milhas” à concorrência: os detalhes estilísticos que encontramos no seu interior.

Sejam os pespontos no tabliê, os acabamentos em tom cobre, os comandos de ignição e modos de condução localizados no volante — a fazer lembrar soluções similares em máquinas de outro calibre, como o manettino da Ferrari —, ou os excelentes bancos em pele, tudo no interior deste CUPRA nos faz esquecer da elevada proximidade com o interior do SEAT Leon e coloca-o como uma das referências do segmento neste capítulo.

Usabilidade melhorável

Apesar de se destacar nos campos do estilo e da qualidade dos materiais, o CUPRA Formentor deixa algo a desejar na interação com o seu interior, uma característica comum à maioria dos mais recentes produtos do Grupo Volkswagen, com os quais partilha a sua plataforma, a MQB Evo.

Ao abdicar de muitos comandos físicos, a CUPRA acabou por reformar tarefas que, efetivamente, funcionam melhor com o auxílio dos “bons e velhos” botões. Exemplo disso são a climatização — acessível só através do sistema de infoentretenimento — e o teto de abrir que, em vez de um habitual botão, tem uma superfície tátil que exige alguma habituação.

Em falta está também um botão que nos permita comutar entre os modos híbrido e elétrico. É verdade que essa seleção pode ser feita no ecrã central, mas não é de todo a solução mais intuitiva.

Por falar no ecrã central, este conta com um grafismo moderno e é bastante completo, se bem que alguns dos “botões” podiam, na minha opinião, ser maiores para facilitar a sua seleção enquanto conduzimos.

Espaçoso q.b.

Não é segredo nenhum que o objetivo do CUPRA Formentor não é ser um modelo marcadamente familiar. Para isso a gama da CUPRA tem já a Leon ST e o Ateca. Ainda assim, apesar do foco no estilo ninguém pode acusar o Formentor de descurar os seus passageiros.

À frente há espaço mais do que suficiente e bastantes locais de arrumação, enquanto atrás dois adultos viajam desafogadamente e com conforto. Quanto ao terceiro passageiro, a altura do túnel central desaconselha um uso prolongado daquele lugar.

Por fim, a instalação das baterias — o VZ e-HYBRID é um híbrido plug-in — “passou a fatura” no que à capacidade da bagageira diz respeito, com esta a descer dos 450 l dos Formentor só a combustão para os 345 l. Ainda assim, as suas formas regulares permitem um bom aproveitamento do espaço.

Cumprir expectativas

Como seria de esperar, um dos principais focos do CUPRA Formentor é a experiência de condução até porque a jovem marca espanhola faz da desportividade uma das suas imagens de marca. Mas será que o Formentor, e em particular esta versão híbrida plug-in, cumpre com essas expectativas?

Comecemos pelos números. Com 245 cv que resultam do “casamento” entre o 1.4 TSI de 150 cv e um motor elétrico de 115 cv, o Formentor VZ e-HYBRID está longe de desiludir, cumprindo os 0 aos 100 km/h em 7s e alcançando os 210 km/h.

Ao volante, a capacidade de aceleração do Formentor VZ e-HYBRID impressiona, especialmente quando selecionamos o modo de condução “CUPRA” que, de forma resumida, consiste na versão superlativa do modo “Sport”.

Neste não só as acelerações são agradavelmente céleres como o som do Formentor VZ e-HYBRID pode quase ser apelidado de “gutural”, revelando-se agradavelmente agressivo e combinando na perfeição com o visual do crossover.

Já no que à dinâmica diz respeito, o CUPRA Formentor VZ e-HYBRID prima mais pela eficácia que pela diversão. Conta com uma direção bastante precisa e direta, e a suspensão, graças ao chassis adaptativo, não só consegue controlar bem os movimentos da carroçaria (e lidar com os seus 1704 kg) como oferece um bom nível de conforto quando reduzimos o ritmo.

Neste campo, apenas o tato do travão a baixa velocidade podia ser um pouco melhor, algo a que não será alheio o sistema de recuperação de energia em desaceleração ou travagem — a transição entre a travagem regenerativa e hidráulica em muitos veículos híbridos e elétricos continua a ser uma “arte” de domínio difícil.

Abrandando o ritmo, o CUPRA Formentor mostra que também é um bom estradista e “presenteia-nos” com agradáveis níveis de isolamento acústico, uma elevada estabilidade em autoestrada e consumos moderados, entre os 5,5 e os 6,5 l/100 km.

Já em ritmos mais elevados, a presença do sistema híbrido plug-in (cujo funcionamento quase impercetível merece elogios) assegura que os consumos não vão além dos 8 l/100 km. Caso a bateria tenha carga e selecionando o modo híbrido, os consumos não foram além dos 2,5 l/100 km.

Por fim, quando em modo elétrico, e sem quaisquer preocupações economicistas, a autonomia andou pelos 40 km em percursos que incluíam mais estradas nacionais que a malha urbana.

É o carro certo para si?

Com uma gama completa e um particular foco no estilo, o CUPRA Formentor apresenta-se como o potencial rival de outros crossover como o BMW X2MINI Countryman ou o Kia XCeed.

Nesta versão híbrida plug-in, o seu preço base (46 237 euros) coloca-o precisamente entre o XCeed PHEV e o BMW X2 xDrive25e.

Face a ambos conta com um visual marcadamente mais desportivo, um maior foco na performance (mas com consumos moderados) e uma potência consideravelmente superior. O sul-coreano “responde” com uma longa garantia e um visual mais “discreto” enquanto o alemão se vale dos anos de “experiência” no segmento premium e do facto de ter tração integral.